Boletim

Qual a melhor escolha: renda fixa ou variável?

Entenda a diferença entre renda fixa e renda variável

Renda Fixa

É um investimento no qual o investidor tem previsão de quanto vai receber ao final do prazo, e por isso corre menos risco financeiro ao compará-lo com quem investe em renda variável.

Os investimentos em renda fixa podem ser classificados quanto ao seu emissor, público ou privado, e também quanto à rentabilidade, prefixada ou pós-fixada.

Rendimentos Prefixados: são aqueles cuja rentabilidade (nominal) o investidor conhece previamente, sendo a taxa de retorno da aplicação acertada no momento do investimento. A rentabilidade pode ser prefixada de duas formas: quando a taxa de retorno já é definida (exemplo: 12% ao ano), ou quando o valor do investimento no vencimento é definido (exemplo: R$ 1.000 no vencimento).

Nesta categoria de investimento, temos os títulos do Governo LTNs (Letras do Tesouro Nacional) e NTN-Fs (Notas do Tesouro Nacional série F). Há também CDBs e algumas Debêntures que podem ter rentabilidade prefixada.

Esses títulos são indicados se você acredita que a taxa prefixada será maior que a taxa de juros básica da economia (Selic).

Exemplo simplificado: você empresta R$ 100 a um amigo e combina a devolução de R$ 150 em 3 anos.

No caso dos títulos públicos, um exemplo de rendimento prefixado é o retorno da Letra do Tesouro Nacional (LTN). Em 02/02/2012, a LTN 010115 garantia uma rentabilidade de 10,50% a.a. Portanto, quem comprou este título nesta data, receberia 10,50% ao ano durante o prazo do investimento.

Aplicações Pós-fixadas: ocorre o inverso, só se conhece a rentabilidade da aplicação na data de vencimento e a rentabilidade varia de acordo com as oscilações dos índices utilizados para determiná-la. Nesta categoria de investimento, encontramos os títulos públicos LTFs (Letras Financeiras do Tesouro) que pagam a Taxa Selic, alguns CDBs e algumas Debêntures pós-fixadas que seguem o IPCA ou a Taxa CDI.

Investimentos com rentabilidade pós-fixada podem ser uma boa escolha quando você acredita que as taxas de juros reais do país aumentarão durante o período do investimento; ao optar por um investimento que tenha remuneração em linha com a variação da taxa de juros real do país sem a necessidade de saber o valor final do investimento; ou quando você acredita que pode precisar dos recursos a curto prazo (no caso de uma reserva de emergência).

Exemplo simplificado: você empresta R$ 100 para um amigo e combina a devolução do valor em um ano, corrigindo a quantia de acordo com a taxa básica de juros do país acumulada no período.

Observação: Apesar de ser mais estável, , ainda há oscilações na rentabilidade da renda fixa, que ocorrem em função das variações da cotação do título no mercado financeiro. Por isso, um título público pode apresentar rentabilidade negativa em alguns momentos. Nos próximos boletins, explicaremos o porquê disso acontecer.

Renda Variável

Como o próprio nome diz, a renda variável não permite uma previsão concreta de rentabilidade, pois o preço dos ativos (ações) sofrem variações a todo o momento, sendo definidos no decorrer de diversos eventos que afetam as empresas que emitem as ações.

Em contrapartida, justamente por trazer mais riscos, a renda variável proporciona maior rentabilidade, principalmente se o investimento for feito com critério, diante de opções bem avaliadas e com diversificação.

Além disso, eventuais desvalorizações das ações podem ser revertidas para quem deixa os papéis aplicados a longo prazo. Por isso, é aconselhável que a pessoa não dependa do dinheiro investido para gastos imediatos.

Nesse ponto, a escolha pela renda variável também depende da idade do investidor. Isso acontece porque, quanto mais jovem ele for, mais pode carregar seus investimentos em renda variável, pois tem o tempo a seu favor e, a longo prazo, pode ter retornos interessantes das boas empresas listadas na bolsa de valores.

Observações:

– As informações aqui prestadas não caracterizam recomendações de investimentos;

– As decisões de investimento são de responsabilidade total e irrestrita do leitor.

Voltar